Dente quebrado: como cuidar do trauma dentário de uma criança?

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

panel-plans-posts_01

Os traumatismos dentários como dentes quebrados são lesões traumáticas que envolvem os dentes, o osso que os sustentam, os tecidos gengivais e os tecidos moles (lábios, língua e bochechas).

Essas lesões podem ser desde uma simples fratura do esmalte dentário até a perda definitiva de um dente inteiro com sua raiz (avulsão dentária). Esses traumas ocorrem muito em crianças em idade escolar e em fase de desenvolvimento e, portanto podem afetar tanto a dentição de leite (decídua) quanto a mista e permanente. Os tipos de lesões podem ser:

  • Fratura de esmalte ou esmalte e dentina: ocorrem na coroa dos dentes e o tratamento pode ser feito com a colagem do fragmento ou com a reconstrução dental em resina
  • Fratura entre a coroa e raiz: ocorre mobilidade dentária e pode haver a necessidade de tratamento endodôntico ou até extração dental
  • Concussão: é um trauma de intensidade leve e não altera posição dentária, podendo provocar uma sensibilidade ao toque e deve ser acompanhada regularmente
  • Subluxação: é um trauma de intensidade moderada, que causa mobilidade dentária sem alteração de posição do dente afetado
  • Luxação: o dente sofre deslocamento da sua posição na arcada de acordo com o sentido do trauma, podendo haver mobilidade e sangramento dos tecidos que sustentam o dente. O tratamento vai variar de acordo com o tipo e sentido da luxação, podendo ser o reposicionamento dentário, tratamento endodôntico ou até mesmo extração dentaria
  • Avulsão: o dente é deslocado totalmente para fora do osso que o envolve. Tem diferentes condutas sendo um dente permanente ou de leite.

Ocorrendo a avulsão de um dente permanente, o reimplante dentário pode ser feito. Sem tocar na raiz, resíduos devem ser removidos do dente com soro fisiológico ou leite sem esfregar e o dente pode ser suavemente reposicionado. Deve-se procurar um atendimento odontológico o mais rápido possível. Não sendo possível o reposicionamento, é importante manter o dente em um frasco com leite até o atendimento odontológico, que deve ser feito em até 45 minutos após o trauma, para que se possa ter sucesso no procedimento.

Em casos de avulsão de dentes de leite, é contraindicado fazer o reimplante dentário, pois pode afetar de maneira indesejável o dente permanente sucessor.

Como agir nas situações de trauma

A maior incidência de traumas em dentes de leite ocorre na fase em que a criança começa a andar, época em que ela está mais curiosa e inquieta, querendo explorar o ambiente e com pouca coordenação motora para evitar quedas e promover autoproteção. Nas dentições mista e permanente, que ocorre na faixa etária compreendida entre os seis e onze de idade, é a que merece maior atenção.

Dentre as principais causas para esses traumatismos podemos citar quedas, colisões, acidentes de automóveis, acidentes em esportes, traumatismos com maus tratos e violência.

Situações de emergência que envolvem os dentes e a face frequentemente se tornam experiências dramáticas para os pais e para as crianças, por isso é importante estar preparado e calmo para ter a atitude correta numa situação como essa.

Quando existe um corte ou sangramento, primeiramente deve-se pressionar o ferimento com uma gaze ou pano limpo para que o sangramento seja controlado. Se houve uma fratura de parte do dente, o fragmento deve ser coletado para ser levado ao dentista. Procure um atendimento odontológico o mais rápido possível.

Mesmo os dentes traumatizados que não sofreram nenhum tipo de fratura podem ter sido afetados através de trincas invisíveis a olho nu e podem ter sua vitalidade comprometida e estes também necessitam de acompanhando de um profissional.

Nos dentes de leite, um traumatismo que cause uma luxação dentária pode aparentar algo simples, mas nunca deve ser negligenciado. Pela proximidade de suas raízes com os germes dos dentes permanentes, podem causar grandes complicações na futura dentição, que vão desde uma simples mancha no dente permanente até sua completa deformação ou desvio do corredor de erupção. Portanto é imprescindível uma avaliação clínica e radiográfica e acompanhamento de um profissional em qualquer situação de trauma na região dos dentes.

Se o tratamento odontológico não for feito adequadamente após o traumatismo dentário, as consequências podem ser alteração de cor, mobilidade, alteração de posição na arcada dentária, dor, sensibilidade, reabsorções radiculares ou óssea, necrose e perda do elemento dental. Por ocorrer principalmente nos dentes anteriores, tudo isso pode acarretar em problemas psicológicos e baixa autoestima das crianças, virar alvo de piadas, principalmente pela ausência do elemento dentário.

Tratamento no consultório

O tratamento escolhido para os dentes traumatizados vão variar de acordo com o tipo e a severidade do impacto, a maturidade dentária, o tempo desde que o ocorreu o trauma até o momento do atendimento e se houve ou não fratura do osso que envolve o dente. As indicações de tratamento podem ser acompanhamento clinico e radiográfico, colagem do fragmento, reconstrução dentaria em resina ou outros materiais, podendo haver ou não a necessidade de um tratamento endodôntico (tratar o canal do dente).

O dentista deve ser sempre consultado para que possa avaliar a extensão dos danos e orientar os pais sobre as condutas futuras e os cuidados a serem tomados. É comum que ocorra a mudança de cor de um dente traumatizado após alguns dias e isto pode estar associado ou não a perda de vitalidade dentária e haver a necessidade de um tratamento endodôntico.

Algumas más oclusões (alterações no formato das arcadas e nos encaixes dos dentes) são fatores que podem aumentar o risco de traumatismos dentários, como por exemplo em crianças com respiração bucal e hábito de sucção de dedos e chupetas. Isso faz com que os dentes superiores sejam projetados anteriormente e se tornem alvos de traumas mais facilmente, portanto a má oclusão deve ser tratada precocemente.

Prevenção dos traumas dentários

É importante que haja uma prevenção dos traumatismos dentais através de medidas de segurança onde pode ocorrer algum tipo de acidente. Os pais devem sempre estar atentos com os movimentos das crianças, evitar objetos que possam causar perigo e brincadeiras violentas. Durante a prática de esportes, recomenda-se utilizar protetores bucais, que são placas intraorais confeccionadas pelo cirurgião-dentista que auxiliam na dissipação das forças dos impactos.

São importantes programas de prevenção para esclarecer pais, professores e cuidadores no que diz respeito ao auxílio imediato nesses tipos de acidentes e a necessidades de atendimento e acompanhamento a fim de diminuir os casos de insucessos nos tratamentos de dentes traumatizados.

O traumatismo dentário é um problema grave, devendo, portanto ser considerado uma situação de urgência e requer atendimento rápido e especializado.

panel-plans-posts_02

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.