Categoria: DICAS DE SAÚDE BUCAL

16/03/2015 Off

Gargarejos e saúde bucal

Por admin
Gargarejos e saúde bucal

A função do gargarejo com enxaguatório é quase sempre a mesma: combater a formação da placa bacteriana, a principal responsável pelas doenças bucais como a cárie e a gengivite. Na prática, a maior parte das pessoas adquirem o produto sem saber se é o tipo certo para o seu caso e desconhecendo os riscos.

De acordo com pesquisadores, há evidências de que enxaguatórios bucais com álcool contribuem para aumentar a taxa de câncer oral. O álcool presente nos enxaguantes contribui, principalmente quando utilizados diariamente, para o aumento das taxas de câncer oral de forma similar às bebidas alcoólicas. Sabe-se que o álcool é o segundo fator agravante para o câncer bucal, depois do tabagismo.

Gargarejos podem ser bons para evitar mau hálito?
O gargarejo com enxaguatórios ajudam a diminuir a quantidade de bactérias presentes na boca e consequentemente auxiliam para evitar o mau hálito. Porém eles não substituem a escovação e o uso do fio dental.

Gargarejo deve ser feito com água ou com enxaguante bucal?
Tanto faz, porém com enxaguante bucal é mais eficaz. O gargarejo com água pode auxiliar restabelecendo o pH normal da boca, enquanto que o enxaguante, além dessa função possui outras auxiliares na higiene bucal.

Por que gargarejos aliviam a dor de garganta?
Alguns gargarejos feitos com agentes bactericidas e anti-inflamatórios agem diretamente na garganta removendo algumas bactérias e consequentemente aliviando a dor.

Quais as outras vantagens ou desvantagens dos gargarejos?
Enxaguatórios são uma ferramenta importante na higiene bucal, mas o uso indiscriminado dos produtos pode provocar de irritações na boca até manchas nos dentes e, em casos mais graves, a perda temporária da gustação – ou seja, a capacidade de sentir os diferentes gostos.

Dependendo da fórmula, alguns enxaguatórios só podem ser usados com indicação médica. Escolher um enxaguatório bucal não é uma tarefa fácil, pois existem nas prateleiras das lojas inúmeras opções. Por isso é importante consultar um profissional, que vai indicar o melhor produto para o seu caso.

28/04/2015 Off

Nhac! Saiba o que cada dente faz durante a mastigação

Por admin
Nhac! Saiba para que serve cada dente da sua boca

Um adulto com uma dentição permanente completa (com os sisos) costuma ter na boca 32 dentes. Já as crianças (contando com todos os dentes de leite), normalmente, têm 20. Cada um deles tem um formato e uma função específica, e a falta de um pode comprometer práticas fundamentais, como a respiração e a mastigação. Mas, afinal, você sabe para que serve cada um dos seus dentes?

Antes de responder a essa pergunta é importante saber o nome dos dentes. Numa boca adulta são 2 incisivos centrais, 2 incisivos laterais, 2 caninos, 4 pré-molares e 6 molares, isso em cada arco dentário (superior e inferior).

Os terceiros molares (os sisos) podem ou não fazer parte do conjunto de dentes da boca. No adulto é relativamente comum que 1, 2, 3 ou até os 4 sisos não se formem, por exemplo. Já nas crianças, não há pré-molares nem terceiros molares, que são dentes apenas permanentes (nascem entre os 17 e 20 anos).

Os incisivos
Os incisivos são os oito dentes da frente (quatro em cima e quatro embaixo), ou seja, os mais visíveis. Por causa de sua localização na boca são os primeiros a entrarem em contato com os alimentos. São dentes especializados em apreender a comida e cortá-la. Seu formato é quadrangular, achatado e possuem a extremidade em forma de lâmina, própria para que possam exercer sua função.

Os caninos
Os caninos vêm logo após os incisivos (dois em cima e dois embaixo, um de cada lado) e têm um formato pontiagudo, se assemelhando a uma lança. Não à toa, eles são os dentes mais fortes da boca. Por isso, sua especialidade é perfurar e rasgar os alimentos.

Os molares e pré-molares
Os pré-molares e os molares são dentes mais redondos e achatados responsáveis por triturar e moer os alimentos já na fase final da mastigação. É nesse momento que a comida começa a ser preparada (em pequenos pedaços) para ser engolida.

Localizados depois dos caninos, no fundo da boca, eles se dispõem da seguinte quantidade. Temos dois primeiros pré-molares e dois segundos pré-molares em cada arco, sendo oito no total. Já os molares podem ser 12, dois primeiros, dois segundos e dois terceiros (no caso de quem tem os sisos) em cada arco.

Vítimas da cárie 

Quando a assunto são as cáries, existem dois grupos de dente mais propícios a ela, os molares e os pré-molares. Eles são dentes que possuem muitos sulcos (parte mais funda na superfície do dente, chamada também de labirinto) que, se não forem bem higienizados, podem acumular resíduos alimentares mais facilmente.

Também é muito comum a formação de cárie entre os dentes, quaisquer deles. Por isso é essencial não apenas escovar, mas usar o fio dental corretamente e a cada escovação dentária.

27/05/2015 Off

O que é pulpite? Informações e tratamento

Por admin
O que é pulpite?

Definição

Pulpite é a inflamação da polpa dentária, um tecido vascularizado e inervado que se encontra no interior dos dentes e é revestido por tecidos mineralizados como a dentina e o cemento.

Causa

A pulpite pode ter algumas causas, mas a mais comum é a cárie dentária que se aproxima a polpa dentária ou que contamina a mesma causando dor. Alguns traumas dentários como pancadas ou fraturas dentárias podem causar pulpite e consequentemente necrose pulpar.

Sintomas

O individuo com pulpite geralmente sente dor com bebidas ou alimentos quentes e/ou frios, e ao mastigar alimentos mais duros.

Diagnóstico

Para diagnosticar a pulpite existem os testes de vitalidade pulpar. Normalmente feito com um estímulo frio. A estimulação pode ser feita também com calor, corrente elétrica e ou pequenas pancadas. A dor pode durar alguns segundos, alguns minutos ou o dente pode não responder, determinando o diagnóstico.

Tipos

  • Pulpites sintomáticas

Pulpite reversível – A dor é latejante e começa quando há um estímulo. Esta dor cessa após a retirada do estímulo.
Pulpite irreversível – A dor é intermitente e começa sem estímulo, aumentando à noite ao deitar-se. A dor não cessa com analgésico, sendo somente aliviada por este.
Pulpite em fase de transição – Está entre as fases reversível e irreversível, podendo ter características clínicas das duas situações.

  • Pulpites assintomáticas

Pulpite ulcerativa – O tecido pulpar está em contato com a cavidade oral e forma-se uma úlcera.
Pulpite crônica hiperplásica – Ocorre em crianças e jovens com exposição pulpar extensa. Uma irritação mecânica e presença bacteriana geram a produção de um tecido de granulação que aflora a cavidade pulpar e geralmente são assintomática.

Tratamento

O tratamento pode ser uma restauração ou até mesmo um tratamento de canal. 
O ideal é sempre procurar um cirurgião dentista capacitado a diagnosticar e resolver a pulpite.

24/06/2015 Off

Saiba tudo sobre gengivite – Cuidados e tratamento de inflamação da gengiva.

Por admin
Saiba tudo sobre gengivite – Cuidados e tratamento de inflamação da gengiva.

Gengivite é a inflamação das gengivas gradual, causada geralmente pela má escovação e higiene bucal.

A gengivite é muito comum e segundo pesquisas ocorrem em nove de dez pessoas.

O processo de inflamação ocorre nas gengivas, que ficam moles e avermelhadas, brilhantes e sangram ao escovar os dentes. O acúmulo de placa dentária na junção da gengiva e dente causado pela má escovação leva  a gengivite.

O uso de alguns medicamentos como anti-hipertensivos, fenitoína, imunossupressores podem agravar o processo de inflamação das gengivas.

Mulheres grávidas ficam mais propensas a sofrerem de gengivite. Alguns anticoncepcionais orais podem piorar os sintomas da inflamação das gengivas.

Os sintomas da gengivite são:

  • Gengivas vermelha escura, brilhantes, moles e inchadas.
  • Ao escovar os dentes as gengivas sangram.
  • APode acontecer caso não seja tratada a separação do dente e gengiva, formando uma cavidade, causando o acúmulo de placa dentária piorando a inflamação e levando a perda de dentes.
  • Gengivas extremamente vermelhas, cobertas com depósito acinzentado.
  • Úlceras nas gengivas parecidas com crateras.
  • Mau hálito.
  • Dor na gengiva.

Tratamento de gengivite:

  • Ir ao dentista para a remoção da placa e raspagem.
  • Polimento dos dentes.
  • Uso de solução com antisséptico para higiene bucal.
  • Boa higiene prevenindo o acúmulo de placas bacterianas.
  • Cuidados com os dentes e gengivas.